Determinando a época ideal para a irrigação do cafezal e a quantidade de água utilizada?

Determinando a época ideal para a irrigação do cafezal e a quantidade de água utilizada?

Inúmeras áreas agrícolas do nosso país são irrigadas, e para que os resultados sejam positivos, o projeto de irrigação deve se bem dimensionado, e o manejo eficiente, unindo a produtividade e a correta utilização de água e energia.

Para determinar a melhor época para a irrigação, e a quantidade de água a ser utilizada pode ser feito o monitoramento da planta, do solo ou do clima. Vamos entender como isso funciona? Segue com a gente!

Monitoramento da Planta

É considerado o método de controle ideal quando ao que é exigido rigorosamente sob o ponto de vista científico. No entanto, implicações técnicas e operacionais comprometem a utilização deste método em campo.

Para o monitoramento da planta, pode ser medido o potencial hídrico, a resistência estomática, a temperatura das folhas, dentre muitas outras formas. Essas técnicas podem apresentar limitações em campo em situações de pequena disponibilidade de informações com relação aos limites e índices recomendáveis, e também devido a problemas operacionais que possam ocorrer.

Monitoramento do Solo

Monitorar o solo é um dos métodos mais comuns para manejo da irrigação, sendo utilizado por si só ou associado a outros métodos. Baseia-se na avaliação do teor de água presente no solo para decidir o momento certo de irrigar. Para isso é necessário definir os limites da capacidade do campo (CC) e do ponto de murcha permanente, e qual será a estratégia utilizada para fazer uso da água disponível.

A proporção de água no solo poderá ser determinada de forma direta, retirando-se amostras do solo em diferentes áreas e profundidades, onde será detectada a umidade existente, ou de forma indireta por meio de equipamentos. Neste segundo caso é utilizado o tensiômetro cheio de água. Este equipamento é colocado em contato com o solo por meio de poros existentes na cápsula porosa, estabelecendo um equilíbrio.

Na prática, o tensiômetro possui um intervalo de medida de ψm = 0 (saturação) e ψm = 0,8 atm, aproximadamente. É recomendado, de acordo com o tipo de solo, a instalação de no mínimo cinco baterias com três tensiômentros na profundidade de 20cm, 40cm e 60cm, e colhendo diariamente os resultados de acordo com a curva de retenção de água no solo.

Monitoramento do Clima

Consiste em um dos métodos mais simples de manejo da irrigação do cafezal. Questões referentes a meteorologia também contribuem para que indiretamente a necessidade de água seja determinada. Baseia-se no balanço hídrico, no qual todas as entradas de água são avaliadas (irrigação e chuva), bem como todas as saídas (evapotranspiração, percolação e escoamento superficial). Para medir a precipitação, pluviômetros devem ser instalados pelo local em pontos diferentes.

É sempre válido optar por métodos mais utilizados em pesquisas, e divulgados nas literaturas sobre irrigação. No campo é muito utilizado o tensiômetro, no qual uma cápsula de cerâmica que fica em contato com o solo, é ligada por meio de um tubo de PVC a um vacuômetro. No entanto, a área de captação da chuva é muito pequena, o que pode levar a resultados equivocados.
Pra obter-se a evapotranspiração podem ser feitas medições diretas em campo, ou baseando-se em dados referentes ao clima e a cultura criar estimativas utilizando de métodos como os de Camargo, Penman, Radiação Solar, Linacre, Blaney Criddle, dentre outros. Medições feitas diretamente em campo são de alto valor (R$), e na maioria dos casos são utilizadas para ajustar os métodos de estimativa de evapotranspiração.

Conclusão

Por fim, sabemos que para resultados mais precisos, são necessárias informações meteorológicas completas, porém muitas implicações tanto financeiras, quanto operacionais oferecem dificuldades as fazendas cafeeiras para implantação de uma estação meteorológica automática. Desta forma, a curto prazo são utilizados métodos simplificados, como por exemplo o tanque de classe A.

Deixe uma resposta