Tipos de Politriz: O guia completo de qual escolher!

Tipos de politriz: para que servem, como funcionam e qual escolher

Sabemos que o acabamento é uma etapa extremamente importante para finalização de qualquer projeto. Ele está ligado não somente a beleza, interferindo também na qualidade e funcionalidade. No artigo de hoje, falaremos sobre a politriz! Uma ferramenta que está diretamente ligada a execução de acabamentos! Você entenderá as suas funções, os modelos existentes, bem como seus diferenciais! Continue com a gente, e confira!

O que é uma Politriz?

A politriz, também conhecida como polideira, ou polidora é uma ferramenta elétrica voltada para a execução de acabamentos. Possui um disco giratório que caracteriza-se por sua baixa rotação, e é por meio dele que acontece o polimento das mais diversas superfícies. Esta característica também proporciona o alcance das camadas mais profundas de uma determinada superfície, oferecendo deste modo ótimos resultados.
A baixa rotação também contribui para o melhor desenvolvimento de trabalhos mais delicados, fazendo com que o usuário tenha mais concentração e garanta maior qualidade ao serviço desenvolvido.
As politrizes também oferecem boa mobilidade para o operador devido as suas empunhaduras que podem ser verticais ou horizontais.

Onde Pode ser Aplicada

Esta ferramenta, como descrevemos acima, é utilizada para as atividades de acabamento. Pode ser aplicada em pinturas automotivas, para restaurar azulejos, e pedras naturais como mármores e granitos por exemplo, dentre outras superfícies.
É muito comum a sua utilização em marcenarias para lixar peças de madeira, oferecendo a peça trabalhada um acabamento livre de imperfeições e de alta performance.

Tipos de Politriz

As politrizes podem ser roto-orbitais ou rotativas. As roto orbitais possuem a ação polimento, e oscilam na orbita de um ponto fixo. Possuem maior performance para a correção de danos, e oferecem menores riscos de danificações.
Com relação aos modelos rotativos, temos que estes possuem uma maior quantidade de rotações por minuto, realizando giros que se caracterizam como uniformes sobre um ponto fixo. O atrito criado pela ferramenta sobre um mesmo ponto, contribui de modo eficiente na restauração de defeitos que se apresentem como mais acentuados. No entanto, é necessário ter certo cuidado para que não sejam causados danos irreversíveis.

Discos e Acessórios

Além da máquina propriamente dita, também será necessário adquirir discos para polimento. Eles podem ser de diferentes materiais, como: alumínio, metal, espumas, tecidos, dentre outros. Para a escolha do disco a ser utilizado devemos considerar as particularidades da superfície a ser polida.

Quais as Principais Diferenças entre os Modelos?

O principal ponto diferencial entre as politrizes existentes no mercado está relacionado ao tempo gasto para desenvolvimento do trabalho até que se alcance o resultado desejado. Tanto as politrizes roto-orbitais quanto as rotativas possibilitam o alcance do resultado prometido, e podem ser aplicadas em serviços de restauração.
A questão é que a primeira exige que o trabalho seja desenvolvido de forma mais minuciosa e detalhada. São ferramentas mais leves e versáteis, simples de serem manuseadas e demandam pouco esforço. A segunda por sua vez é mais pesada, robusta e potente, exigindo que o usuário tenha prática, uma vez que acidentes podem acontecer.

Como Manusear a Ferramenta Corretamente?

– A posição correta de uso da ferramenta é um dos primeiros pontos a serem considerados. Isso contribuirá para que possíveis acidentes não venham a acontecer;
– Deve se ter atenção também quanto ao risco de choque, pois estamos falando de uma ferramenta elétrica;
– O botão do interruptor deverá estar desligado antes de conectar o fio da politriz na tomada, a fim de evitar partidas não intencionais;
Algumas atitudes também podem contribuir para aumentar a vida útil da sua ferramenta, como também para a segurança do operador, como:
– fazer manutenções preventivas;
– os equipamentos devem ser compatíveis com a máquina utilizada;
– não forçar a ferramenta contra a superfície trabalhada;
– fazer uso correto do Equipamento de Proteção Individual.

Como escolher a ferramenta ideal?

A primeira questão a ser definida é qual será a finalidade de uso da ferramenta. Isso porque existem vários modelos no mercado, e com diferentes especificações técnicas, e acessórios específicos para determinadas superfícies. Politrizes menores geralmente são destinadas a execução de pequenos reparos. Para a execução de trabalhos mais pesados, é indicado o uso de equipamentos profissionais, dotados de funções especificas, travamento, e de discos de maior resistência e dimensão.
Com isso, entende-se que a escolha do equipamento deverá ser feita tomando como base o serviço a ser desenvolvido e suas características, e observando estes dados, determinar qual a ferramenta que oferecerá as melhores condições para que o trabalho seja executado.

Deixe uma resposta